Bakugan

Publicado: 27 de outubro de 2010 em Cuidado, Desenho animado, Para pensar

Não brinque com jogos que envolvam o ocultismo!

“A transformação espiritual… é mediada por meio da imaginação religiosa da pessoa.” [1].
“Gosto das animações japonesas. Sempre gostei delas… não vou permitir que alguém me diga que as coisas das quais eu gosto são ruins.” [2].
“Satanás não está simplesmente tentando atrair as pessoas para o lado das trevas de um conflito do bem contra o mal. Na verdade, ele está tentando erradicar o vão entre ele e Deus, entre o bem e o mal.” [3]. 

“Ai dos que ao mal chamam bem, e ao bem mal; que fazem das trevas luz, e da luz trevas; e fazem do amargo doce, e do doce amargo! Ai dos que são sábios a seus próprios olhos, e prudentes diante de si mesmos!” [Isaías 5:20-21; ênfase adicionada].

Não brinque com jogos que envolvam o ocultismo! Os tabuleiros de Ouija sempre convidaram a opressão, mas hoje, muito mais provavelmente invocarão “espíritos” indesejados. O mesmo acontece com a nova geração de jogos e vídeos ocultistas.

Tomei conhecimento dessa mudança nos anos 1990, quando um psicólogo canadense me telefonou. Ele tinha lido meu livro Under the Spell of Mother Earth (Sob o Encantamento da Mãe Terra) e queria compartilhar algumas observações comigo. Ele me disse que nos últimos anos, muitas mulheres estavam indo para a pitoresca região de Alberta, para fazerem uma “busca espiritual” com os índios e encontrar seu “espírito-animal” pessoal. Poucas conseguiam. Mas os tempos mudaram e os “espíritos” que agora respondem às invocações são numerosos e opressivos. Tratar os horríveis sintomas como “distúrbio de múltiplas personalidades” não ajuda em nada.

Em outras palavras, o ocultismo popular está se alastrando rapidamente e o “mundo espiritual” está se tornando cada vez mais acessível. [Veja as razões aqui.] Mas poucas famílias estão equipadas para resistir a isso. As igrejas contemporâneas oferecem pouca ou nenhuma ajuda. A maioria simplesmente ignora o perigo e endossa a “diversão”. Para evitar ofender as pessoas, a palavra malignidade é removida do vocabulário.

As principais vítimas dessa cegueira são as crianças. A não ser que as ensinemos a reconhecer esses perigos e a resistir a eles, muitas darão as boas-vindas às trevas. Portanto, vamos examinar a natureza e as táticas dessa guerra espiritual muito real. Bakugan — um jogo muito famoso e uma animação japonesa on-line é um exemplo útil.

A história de Bakugan inicia assim: “Um dia, cartas começaram a cair do céu e foram apanhadas por crianças de todo o mundo. As cartas continham diferentes personagens, diferentes ambientes e diferentes poderes… essas cartas na verdade correspondiam a um mundo alternativo chamado Vestroia.” [4].

“… inventamos um novo jogo mau e o chamamos de Bakugan”, explicou o líder dos jovens Combatentes Ruidosos de Vestroia. “Foi quando o poder das cartas foi revelado. Cada um tinha sua própria fera de combate… Os combates eram intensos e se você escolhesse a carta errada, perderia o combate e a fera interior.” [5]

“… a fera interior!” Essas palavras trazem à mente algumas cartas preocupantes que recebi por correio eletrônico de adolescentes e jovens adultos envolvidos na luta. Como as mulheres canadenses, eles na verdade sentiam como se tivessem feras incontroláveis dentro de si. As descrições deles das batalhas interiores — as terríveis consequências da obsessão com os jogos RPG ocultistas — eram de partir o coração. Eles não conseguiam parar de jogar — ou bloquear as aterrorizadoras imagens implantadas em suas mentes! Além disso, não conseguiam encontrar cristãos fiéis em suas cidades que pudessem guiá-los rumo à liberdade.

Tarde demais, eles descobriram que a sedutora jornada para a servidão ocultista é muito mais suave do que a recuperação da liberdade. Todavia, poucos veem os perigos da seguinte progressão:

Dar ordens aos poderes sobrenaturais por meio da imaginação.
Desejar emoções mais tenebrosas — ao mesmo tempo em que a realidade o deixa cada vez mais aborrecido.
Sofrer as consequências mentais, emocionais e espirituais de confiar no ocultismo. [5].
Cegueira Pós-Cristã

A Bíblia nos diz que “as armas da nossa milícia não são carnais, mas sim poderosas em Deus para destruição das fortalezas; destruindo os conselhos, e toda a altivez que se levanta contra o conhecimento de Deus, e levando cativo todo o entendimento à obediência de Cristo.” [2 Coríntios 10:4-5]. Nossa arma principal, é claro, é a espada do Espírito, a Palavra de Deus. Nossos filhos precisam conhecer a Palavra de Deus, depois exercer fé em suas diretrizes intemporais. Entretanto, essas verdades estão rapidamente sumindo da praça pública, e as enganações — mais atraentes, aceitáveis e disseminadas do que nunca — estão preenchendo o vazio!

As armas usadas pelos combatentes Bakugan são totalmente contrárias aos caminhos de Deus. Baseadas na antiga força chinesa chamada Chi, elas fluem da mesma fonte que toda outra arma ocultista. O Chi (ou Ki, Prana, etc.) é meramente o rótulo oriental para as forças espirituais que eram invocadas e comandadas pelos feiticeiros cananeus, magos babilônios, alquimistas medievais e sociedades secretas em toda a história. [7].

A magia deles está vinculada com o poder da vontade humana. Ela envolve concentração mental e instruções firmes que habilitam os ocultistas a “lançarem encantamentos” e “fazerem magia” sem hesitação ou considerações morais.

A magia é fácil, de acordo com a autora wiccana Starhawk, fundadora da Aliança da Deusa. Tudo o que é necessário são “quatro capacidades básicas: relaxamento, concentração, visualização e projeção.” [8] A última etapa significa projetar a energia movendo as imagens mentais com a vontade humana e a imaginação da pessoa.

É isto que os fãs da animação Bakugan aprendem a fazer: concentrar-se, visualizar e então projetar o poder por meio de suas bolas, as cartas do jogo que contêm animais. (Veja a figura no início.) Starhawk descreveu bem isto em seu livro sobre feitiçaria: “Lançar um encantamento é projetar energia por meio de um símbolo.” [8].

Para muitos ocultistas ocidentais, esse “símbolo” habilitador para invocar e transmitir poder demoníaco é o Tarô (baseado na Cabala), ou outras cartas mágicas.

O entretenimento dos dias atuais faz esses rituais de autocapacitação parecerem mais normais do que a oração. Os jovens jogadores estão continuamente aprendendo, e depois praticando, uma nova cosmovisão — que distorce ou rejeita o cristianismo bíblico. Não é surpresa que esse processo combine com a fórmula marxista para a transformação social:

Novas informações que desafiam as antigas crenças e valores
+ experiência prática usando as novas informações
= PRÁXIS: uma estratégia transformacional baseada no reforço e na experiência contínua. [9]. 

Juntas, as imagens místicas (implantadas por meio das cartas e da animação) e as ações rituais (repetidas inúmeras vezes durante o jogo real) tornam-se a porta de entrada para o pensamento ocultista. Com a crescente popularidade dessas emoções, muitas outras crianças trocarão as verdades de Deus pelo poderes caprichosos que apelam às lascívias e às ambições da natureza humana caída.

Não é de se admirar que as seguintes Escrituras tenham se tornado uma realidade até mesmo nas igrejas hoje:

“Tu amas mais o mal do que o bem, e a mentira mais do que o falar a retidão.” [Salmos 52:3].
“Mas não ouviram, nem inclinaram os seus ouvidos, antes andaram cada um conforme o propósito do seu coração malvado; por isso trouxe sobre eles todas as palavras desta aliança que lhes mandei que cumprissem, porém não cumpriram.” [Jeremias 11:8].

Os Sinais e Símbolos da Magia 

Observe a tensão entre os poderes opostos na descrição do cosmos de Bakugan:
“Vestroia é uma vasta dimensão formada por seis mundos: Fogo, Terra, Luz, Trevas, Água e Vento. Bem no centro desse universo existem duas energias centrais opostas: O NÚCLEO INFINITO, a fonte de toda a energia positiva, e o NÚCLEO SILENCIOSO, a fonte de toda energia negativa. Em toda a história, essas duas forças opostas mantiveram o equilíbrio…” [4].

Observe como essa filosofia se choca com a Verdade de Deus: Não existe equilíbrio entre o Reino eterno do nosso Deus santo e o domínio temporário de Satanás!

Todavia, dois símbolos ilustram a mentira: o círculo dividido em quatro partes e o Yin/Yang. Você talvez se lembre do “círculo sagrado” dos wiccanos e da espiritualidade dos índios americanos. As quatro linhas divisórias dele apontam desde o centro para os “espíritos” do norte, leste, sul e oeste — e para os quatro elementos básicos: fogo, terra, água e vento (ou ar).

Esses “espíritos” são similares aos domínios espirituais de Vestroia. As conexões deles com a mistura de taoísmo, confucionismo e budismo chineses com as religiões populares estão descritas em An Encyclopedia of Religion:

“A oscilação eterna do Yin/Yang dá origem ao universo material por meio de seus Cinco Agentes de Água, Fogo, Madeira, Metal e Terra… O movimento religioso que floresceu desde o primeiro século antes de Cristo até o quarto século… envolvia adivinhação, alquimia e a crença nos imortais…” [10].

“O taoísmo é um rico reservatório de superstições. Ele… incorporou e elaborou a adivinhação… prever o futuro, feitiçaria, astrologia, comunicação com os mortos, e muitas outras… Ele usa encantamentos e fórmulas mágicas.” [10].

Isso tudo faz você lembrar Deuteronômio 18:9-14? Deus nos diz para evitarmos todas essas práticas! Até mesmo na imaginação!

“Quando entrares na terra que o SENHOR teu Deus te der, não aprenderás a fazer conforme as abominações daquelas nações. Entre ti não se achará quem faça passar pelo fogo a seu filho ou a sua filha, nem adivinhador, nem prognosticador, nem agoureiro, nem feiticeiro; nem encantador, nem quem consulte a um espírito adivinhador, nem mágico, nem quem consulte os mortos; pois todo aquele que faz tal coisa é abominação ao SENHOR; e por estas abominações o SENHOR teu Deus os lança fora de diante de ti. Perfeito serás, como o SENHOR teu Deus. Porque estas nações, que hás de possuir, ouvem os prognosticadores e os adivinhadores; porém a ti o SENHOR teu Deus não permitiu tal coisa.” [ênfase adicionada].

“Mas não ouviram, nem inclinaram os seus ouvidos, mas andaram nos seus próprios conselhos, no propósito do seu coração malvado; e andaram para trás, e não para diante.” [Jeremias 7:24].

O ocultismo ocidental está se misturando com o oriental há pelo menos dois mil anos. Entretanto, o que costumava ser um pequeno córrego agora se transformou em uma inundação. Até mesmo as igrejas estão dando as boas-vindas aos mistérios que as sociedades secretas e os alquimistas taoístas no passado esconderam tão bem.

Os ocidentais criados em uma civilização cristã “segura” tendem a desconsiderar a origem desses poderes. O Ocidente todo, convenientemente, fechou seus olhos para as realidades ocultas que desapareceram de vista com a propagação do cristianismo. Agora, essas realidades tenebrosas estão retornando com uma vingança. [11] [Veja “Como o ocultismo está transformando a igreja”.]

Luz Enganosa e Trevas Inconcebíveis

O universo Bakugan está dividido em seis domínios — cada um representado por um símbolo correspondente. Esses domínios se dividem em três conjuntos de Yin/Yang opostos: Fogo e Terra, Luz e Escuridão, Água e Vento (ou Ar). Cada um tem um símbolo correspondente: Vermelho para “Fogo” e preto para “Escuridão”. A “Luz” está vinculada como um pentáculo branco dentro de um círculo. Os três exemplos seguintes sozinhos devem causar preocupação quanto aos valores tentadores ensinados aos jovens fãs:

Fogo (Pyrus): O Bakugan Vermelho. “Dan tem obsessão em ser o melhor Bakugan Brawler do mundo… Seu guardião Dragonoid (… Drago — retratado) é uma força a ser respeitada… O jogador Pyrus usará tudo o que estiver ao seu alcance para esmagá-lo…”.

Escuridão: O Bakugan Preto. “Eles prosperam nas batalhas ocultas nas sombras, pois é dali que extraem sua força… Uma vez que um Bakugan seja sugado para a Dimensão da Condenação, não há retorno… A conclusão é: Drakus é mau, porém é engraçado.”

Luz (Haos): O Bakugan Branco. “Com este poder, o Bakugan Haos dominou a capacidade rara e singular de manipular e controlar a luz e a energia, deixando seus adversários atordoados e derrotados.” [12]. 

Os seis símbolos são mostrados em um complexo símbolo circular, similar a uma imagem (retratada aqui) de uma carta do Tarô da Cabala em um baralho criado pelo infame ocultista Aleister Crowley. Embora os seis discos de Crowley tenham diferentes significados, ambos esses símbolos complexos (os de Bakugan e os de Crowley) colocam os seis discos nas bordas de um hexágono — uma figura de seis lados comum na arte cabalística. [13].

Tornando-se Como “Deus”

Aleister Crowley foi chamado de “o homem mais maligno no mundo”. Esse fundador da Ordem Hermética da Aurora Dourada definiu a magia como “a ciência e a arte de fazer mudanças ocorrerem sempre que desejadas.”. [14].

Desejadas por quem?

Não por Deus! A seguinte declaração ocultista descreve uma das mais maliciosas ciladas armadas pelo Maligno desde o início dos tempos:

“… a não ser que você se coloque em igualdade com Deus, não poderá compreender Deus: porquanto cada qual só inteligível para o seu igual… Acredite que nada seja impossível para você… Eleve-se acima da maior altura e desça abaixo da profundeza mais profunda. Atraia para si mesmo todas as sensações de todas as coisas criadas, fogo e água, sequidão e umidade, imaginando que você é tudo, na terra, no mar, no céu.” [15].

Lembre-se daquilo que a serpente disse a Eva no Jardim do Éden ao tentá-la a comer do fruto proibido:

“Então a serpente disse à mulher: Certamente não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se abrirão os vossos olhos, e sereis como Deus, sabendo o bem e o mal.” [Gênesis 3:4-5; ênfase adicionada].

Foi uma mentira maliciosa! Em vez de se tornar como Deus, o pecado de Eva a baniu da presença de Deus. Conhecendo o mal de forma experimental, ela se tornou uma criatura pecadora que não poderia mais caminhar na presença do nosso Deus, que é santo. A grandiosa promessa de Satanás foi na verdade uma cilada mortal!

Visões grandiosas estão entre os truques mais eficientes de Satanás. Em um ponto no mito de Bakugan, o maligno Naga conseguiu “absorver” para dentro de si mesmo uma imensa quantidade de “energia negativa”. Isso causou uma grande crise de “energia”! Como resultado, os grupos de batalha enfrentaram uma tarefa de proporções cósmicas: “Restaurar a paz em todo o Universo”. [18].

Que sugestão arrogante! Todavia, ela suporta aquilo que as crianças aprendem nas escolas públicas: é tarefa delas salvar o planeta, criar unidade na diversidade, e se opor às visões estreitas de seus pais.

Nesse mundo de fantasia, faz sentido que os lados opostos — o bem e o mal — se deem as mãos em perfeita harmonia. Como o processo dialético que “libera” os membros do grupo da autoridade e dos valores bíblicos, essa mensagem maliciosa promove uma arrogância que corresponde à descrição de Satanás no Velho Testamento:

“Como caíste desde o céu, ó estrela da manhã, filha da alva! Como foste cortado por terra, tu que debilitavas as nações! E tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu, acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono, e no monte da congregação me assentarei, aos lados do norte.” [Isaías 14:12-13].
Se escolhermos os “outros deuses” e cedermos às tentações de Satanás, certamente enfrentaremos as consequências. Considere as seguintes advertências: 

“Mas não ouviram, nem inclinaram os seus ouvidos, mas andaram nos seus próprios conselhos, no propósito do seu coração malvado; e andaram para trás, e não para diante.” [Jeremias 7:24].

“Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios.” [1 Timóteo 4:1].

“Mas cada um é tentado, quando atraído e engodado pela sua própria concupiscência. Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte.” [Tiago 1:14-15].

“E, como aconteceu nos dias de Noé, assim será também nos dias do Filho do homem.” [Lucas 17:26].

O que aconteceu nos dias de Noé?

Informações na integra veja o site do autor da matéria no
http://titofamilia.blogspot.com/2010/06/nao-brinque-com-jogos-que-envolvam-o.html

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s